24 April 2014

Parsley Pants




À semelhança dos gatos, estas calças têm mais do que uma vida. Começaram por ser calças do Tiago, usadas durante anos; quando começaram a ficar gastas de tantas lavagens, tingi-as de azul-escuro (a cor original) com Dylon e voltaram a ficar como novas (já experimentaram tingir na máquina de lavar roupa?). Passaram-se mais uns anos e as calças ficaram com umas nódoas impossíveis de tirar — o Tiago trabalha numa fábrica e estraga imensa roupa —, mas a parte de baixo das pernas continuava boa. Foi nessa altura que me lembrei de transformá-las numas calças para o Rodrigo.

O molde que usei chama-se Parsley Pants (sou grande fã da Rae) e é fácil e rápido de fazer, especialmente porque segui esta sugestão e aproveitei as costuras laterais e as bainhas. Por serem tão escuras, as calças foram difíceis de fotografar (esta foi a segunda tentativa), mas digo-vos que o corte é muito engraçado: o Rodrigo parece uma criança dos anos 70! Acho que também é um molde giríssimo para raparigas... hei-de experimentar fazê-las em tecidos menos clássicos.

E já estou a pensar nas calças de Inverno que vou fazer para o Rodrigo, essas sim completamente Seventies (inspiradas em fotografias do Tiago em pequeno): um par em xadrez escocês!


In the same way as cats are believed to have several lives, these trousers have already been through a few incarnations. First they were just a regular pair of chinos that Tiago wore for a few years; when they started to show their age I dyed them navy blue (their original colour) with Dylon (have you ever tried dyeing clothes in the washing machine?) and they turned out as good as new. A few years have passed since then and the trousers acquired a handful of stains that were impossible to get rid of — Tiago works in an industrial plant and he has a tendency to ruin a lot of clothes — but somehow the legs were still salvageable. And so I decided to turn them into a pair of trousers for Rodrigo.

I used the Parsley Pants pattern (I'm a big fan of Rae's) and the whole thing was sewn up so quickly and easily, especially because I followed this tip and kept the original side seams and hems. Because they are so dark they were quite hard to photograph (this was actually our second attempt) but you can take my word for it: the cut is so fun, it makes Rodrigo look like a 1970s child! I reckon it's also a great pattern for girls... especially if made in a totally different fabric.

I'm already thinking about the next pair of winter trousers I'm going to sew for Rodrigo: inspired by an old photo of Tiago as a young child, I'm going for a truly Seventies look — tartan trousers!

(photos© Constança Cabral)

22 April 2014

Época da Feijoa :: Feijoa Season






Até ter vindo viver para a Nova Zelândia, nunca tinha ouvido falar em feijoas. Também conhecidas como goiabas-serranas ou goiabas-ananás, as feijoas são originárias da América do Sul mas são incrivelmente populares na NZ. Não há praticamente jardim que não tenha uma árvore de feijoa e, no Outono, os frutos encontram-se à venda em qualquer supermercado. Nós temos a nossa árvore e o Rodrigo gosta muito de apanhá-las e comê-las (haja alguém cá em casa que goste delas!). E vocês, já provaram feijoas?

I had never heard of feijoas until I came to New Zealand. Also known as pineapple guavas, feijoas come from South America but are incredibly popular in NZ. Almost every garden has its own feijoa tree and in Autumn you can find the fruit for sale at supermarkets. We've got our own tree and Rodrigo enjoys picking and eating them (I'm glad at least one person in this household actually appreciates their taste). What about you, are you familiar with feijoas?

(photos© Constança Cabral)

17 April 2014

Sewing for Boys :: Easy Linen Shirt






Ando sempre à procura de moldes para roupa de rapaz que sejam um misto entre clássico e descontraído, e que não sejam demasiado complexos (já percebi que não tenho muita paciência para ficar horas a fazer algo que vai ser usado apenas durante uns meses). A peça mais recente que fiz para o Rodrigo foi a 'Easy Linen Shirt' do livro Sewing for Boys, e recomendo-a vivamente. 

A camisa assenta bem e, quanto a mim, só precisa de duas pequenas modificações: encurtar as mangas e aumentar um pouco o comprimento do tronco. Não há cá punhos, carcelas nem casas de botões e, mesmo assim, a camisa fica com um ar bastante decente. 

Não usei linho mas sim um algodão de óptima qualidade, perfeito para a função. Já cortei mais uma!


I'm always on the lookout for boys patterns that are both relaxed and timeless, and not too complex (I've come to the conclusion that I have limited endurance for spending hours making something that'll only be worn for a few months). I've recently made the 'Easy Linen Shirt' from the Sewing for Boys book and I can't recommend it enough.

The shirt is well drafted and, as far as I'm concerned, only needs two small alterations: the sleeves are too long and the body is too short. Other than that, it's a great pattern: I love that it looks so legit even though there are no plackets, cuffs and buttonholes to loose your mind about.

As far as fabric is concerned, I used a high-end shirting cotton instead of linen (there's no lightweight linen in my stash, unfortunately). I've already cut another one!

(photos© Constança Cabral)

15 April 2014

Transformar um Candeeiro :: Lamp Makeover


Temos um candeeiro novo na entrada. Mas este candeeiro não foi comprado assim... vejam só como era quando o descobri numa loja de caridade aqui ao pé:

We've got a new lamp in our hall. But the lamp didn't look like this when I first bought it... just take a look at what it used to look like when I discovered it at a local charity shop...


Eis o que lhe fizemos: 

- o abat-jour original voltou para a loja de caridade;
- a base de latão foi pintada de branco (comprámos duas latas de tinta em spray: um primário para metal e um branco semi-brilhante adequado a todas as superfícies);
- fiz o abat-jour novo num workshop em que participei no sábado passado, na Made Marion em Wellington — o tecido utilizado veio de um par de cortinas antigas que comprei há uns anos numa loja de caridade inglesa.

Grande transformação, não foi? É incrível o que se pode fazer com tintas e tecidos!


Here's what we've done with it:

- the original shade went back to the charity shop;
- the brass base was spray painted white (we bought a primer for metal surfaces and an all-purpose semi-gloss in white);
- I made the new shade last Saturday at Made Marion's lampshade making workshop in Wellington — the fabric I used came from a pair of old curtains I bought years ago in a British charity shop.

Huge transformation, right? The power of paint and fabric is truly amazing!

(photos© Constança Cabral)

10 April 2014

Passar Moldes para Tecido :: Transfering Patterns to Fabric





Quando fiz a túnica de marinheiro para o Rodrigo, utilizei um método novo — novo para mim, bem entendido — para passar os moldes para o tecido: papel químico de costura e uma recortilha. Apesar de ser um método clássico, parece-me que é pouco usado hoje em dia. A Tilly escreveu uma boa explicação aqui. Há papel químico de várias cores e tamanhos e as recortilhas encontram-se à venda em qualquer retrosaria.

When I made the sailor top for Rodrigo I used a new method — new to me, I must add — for transferring a pattern to fabric: dressmaker's carbon paper and a tracing wheel. Even though it's a classic method, I don't think it's being used much these days. Tilly has a great explanation for it here. You can find tracing wheels and carbon paper in many colours and sizes at every haberdashery shop.


Lembram-se de ter falado no facto de o decote da túnica ser demasiado aberto? Resolvi a questão com uma simples t-shirt às riscas!

By the way, remember I mention the fact that the V-neck was too deep to my liking? I've found that a simple stripey t-shirt (worn underneath the tunic) solves the problem!

(photos© Constança Cabral)

07 April 2014

Saudades :: Longing


Staffordshire, Setembro de 2012. Tantas saudades do sítio mais bonito onde já vivemos.

Staffordshire, September 2012. I'm missing this beautiful place so much.

(photo© Constança Cabral)

01 April 2014

Mailbox Surprise


Lembram-se da Mailbox Surprise, aquela troca internacional de tecidos em que participei? A mim calhou-me enviar um pacote à Tara, que vive nos Estados Unidos. Mandei-lhe um metro de tecido aos quadrados, um livrinho antigo de bordados, grega em duas cores, um galão antigo português, botões antigos também eles portugueses e uns chocolates muito populares na Nova Zelândia. Espreitem aqui para verem o que ela fez com o tecido!

Do you remember Mailbox Surprise, the international fabric exchange I took part in? Well I had to send a package to Tara, who lives in the USA. I sent her a metre of gingham fabric, a vintage embroidery booklet, rick-rack in two colours, a piece of vintage Portuguese ribbon, a card of vintage Portuguese buttons and a packet of Jaffas (NZ chocolate). Take a look here to see what she's made with the fabric!

(photos© Constança Cabral)

28 March 2014

Outono nos Antípodas :: Antipodean Autumn





Castanhas do mercado, marmelos de uma vizinha e maracujás e feijoas cá de casa. Frio de manhã e ao fim da tarde. A chaminé limpa e a garagem cheia de lenha. Outono, estamos prontos!

Chestnuts from the farmers' market, quinces from a neighbour, passionfruit and feijoas from our garden. Cool mornings and evenings. The chimney has just been cleaned and the garage is full of firewood. Autumn, we're ready for you!

(photos© Constança Cabral)

25 March 2014

Rapaz! :: Boy!


Vem aí mais um pirata! :)

We've found out that I'm carrying another little pirate! :)

(photos© Constança Cabral)

14 March 2014

Mailbox Surprise


Há uns meses fui convidada pela Marta e pela Marte para participar no Mailbox Surprise, um grupo internacional de costura cujas participantes foram desafiadas a enviar tecidos surpresa a outras participantes, e a apresentar peças de roupa infantil feitas com os tecidos recebidos. Eu recebi tecidos enviados pela Trine, directamente da Dinamarca para a Nova Zelândia. Passem no blog da Marta e vejam o que fiz com eles!

A few months ago I was invited by Marta and Marte to be a part of Mailbox Surprise, a sewing series in which a person sends a surprise gift of fabric to another person, who then has got to sew a piece of clothing for a child using that particular fabric. I received a generous package from Trine all the way from Denmark. Head over to Marta's blog and read all about my experience!






(photos© Constança Cabral)

10 March 2014

Capa de Édredon de Casal :: King Size Duvet Cover




Nós também tivemos direito a capa de édredon nova. Comprei recentemente um édredon novo para a nossa cama e, como as medidas de cá são diferentes das europeias, tive de comprar um tamanho ligeiramente maior (o que até foi bom). A única desvantagem foi que as capas que tinha cá em casa deixaram de servir...

Esta capa foi feita de uma maneira muito simples: comprei dois lençóis de casal, apliquei um entremeio num deles (usei este entremeio para fazer um lençol para o Rodrigo há quase dois anos, lembram-se?), depois cosi-os, direito com direito, em cima e dos lados (a parte de baixo ficou aberta), virei do direito e engomei. 

É quase impossível tirar fotografias em que o Rodrigo não apareça... andar atrás dos pais e saltar em cima da cama é bem mais giro do que ficar a brincar no quarto.


We too got a new duvet cover for our bed. I've recently bought a new duvet but since bedding sizes here are different from the ones in Europe, I had to go for a slightly bigger duvet than the one we had (which was actually a positive thing). The only disadvantage is that the duvet covers I already own no longer fit...

This duvet cover couldn't be simpler to make: I bought two flat sheets and stitched a piece of eyelet insertion on one of them (I used the same insertion nearly two years ago on a sheet for Rodrigo, remember?). Then I sewed along the top and sides of the sheets, right sides together, leaving the bottom part open. I turned the whole thing right side out and iron it. 

It's nearly impossible to prevent Rodrigo from appearing in every photo I share with you... chasing his parents around and jumping on the bed is just so much more enticing than playing quietly in his room.

(photos© Constança Cabral)

05 March 2014

Capa de Édredon :: Toddler Duvet Cover





Já o disse muitas vezes e vou repeti-lo: uma máquina de costura é uma ferramenta de independência. Quer usem a máquina da vossa avó ou comprem uma nova — que tal passar a incluí-la nas listas de casamento? —, garanto-vos que será um electrodoméstico mais utilizado do que a faca eléctrica ou o liquidificador. 

No fim-de-semana passado fiz algo de que o Rodrigo precisava mesmo e que eu não conseguia encontrar: uma capa de édredon num tecido giro e com qualidade, com as dimensões ideais para poder ser entalada na cama (não gosto daquelas capas curtas que não dão para entalar).

Até há pouco tempo o Rodrigo tem dormido com sacos-cama (aconselháveis pelo menos até aos 12 meses e excelentes porque assim os bebés nunca se destapam e acordam a chorar com frio) mas, de um dia para o outro, deixou de querer usá-los (também foi de um dia para o outro que deixou de querer chucha à noite, assim como beber pelo biberon). Durante o Verão dormiu com um lençol e um quilt, mas o Outono já chegou à NZ e tive mesmo de lhe comprar um édredon. 

Nem imaginam a reacção dele: fartou-se de saltar na cama, doido com os elefantes e com a textura do édredon. Normalmente sou apologista de roupa de cama branca, mas o Rodrigo gosta tanto de animais que não resisti a este tecido. Fiz uma fronha a condizer, claro.

No total gastei 3,50 m de tecido. Não tive tempo para fotografar o processo (muito simples, diga-se de passagem) mas, como vou ter de fazer mais capas, depois fotografo o passo-a-passo e mostro aqui no blog.


I've said it before and I'll say it again: a sewing machine is a means of independence. Whether you use your granny's sewing machine or you buy a new one — how about including it in wedding registries? —, I guarantee you'll use it more than an electric knife or a juicer.

Last weekend I made something that Rodrigo really needed and that I couldn't find locally: a duvet cover in an attractive, good quality fabric, long enough to tuck in under the mattress (I don't like short duvet covers).

Up until a couple of months ago Rodrigo slept in sleeping bags but one day he decided he'd had enough of them (he tends to be very sudden in his decisions). During the summer he slept with a flat sheet and a quilt but now that autumn's arrived in NZ, there was no way around getting him a proper duvet.

I can't tell you how happy he was when he saw the elephants and felt the softness and texture of the duvet. I'm usually partial to white bed linens but since Rodrigo loves animals so much, I couldn't resist buying this fabric. I made him a matching pillowcase, of course.

In total I used up 3,50 m of fabric. I didn't have time to photograph the process (a very simple one, I must say) but since I'm going to have to sew a couple more duvet covers, I'll post a tutorial on the blog soon.

(photos© Constança Cabral)

03 March 2014

Les Aventures de Tintin en Nouvelle-Zélande






Apesar de não se festejar o Carnaval na Nova Zelândia, nós não resistimos a mascarar o Rodrigo, nem que seja só por meia-hora. Lembram-se do Dom Rodrigo de há um ano? Pois este ano — em honra de um avô que é um grande tintinófilo — o Rodrigo encarnou o Tintin.

A máscara foi feita com a prata da casa (só as meias é que foram compradas de propósito) e as aventuras não foram mais do que posar no corredor e ir ajudar o pai a empilhar lenha na garagem. Mas divertimo-nos todos e isso é que interessa!


Although Carnival isn't celebrated in New Zealand, we always end up coming up with a costume for Rodrigo. Remember last year's Dom Rodrigo? Well, this year — in honour of a tintinophile grandfather — Rodrigo embodied Tintin.

The costume was made with his regular clothes (only the white socks were bought especially for the occasion) and the adventures only lasted for half an hour: he posed for photos in the corridor and helped Tiago stack firewood in the garage. But we all had fun and that's what matters!

(photos© Constança Cabral)

27 February 2014

Tomates de Jardim :: Garden Tomatoes





Apesar de a Nova Zelândia não ser um país quente como Portugal, é bem mais temperado do que o Reino Unido. Chove bastante, o vento é inacreditável, mas felizmente há muitos dias de sol (o sol mais forte que senti na minha vida). Chuva + sol + terra fértil = jardins com muita produtividade!

Há uns anos, quando ainda vivíamos em Inglaterra, escrevi uns posts que intitulei "a saga do tomateiro"... a verdade é tentar cultivar tomates num jardim inglês (sem estufa) é uma verdadeira saga. Aqui na Nova Zelândia basta plantá-los na terra e ir regando. Nem imagino como será em Portugal!

Mais uma vez verifico que vale a pena fazer experiências. Não é preciso ter uma horta a sério para comer fruta e vegetais homegrown — basta um canteiro ou até mesmo uns vasos. Experimentem!


Although New Zealand isn't as hot as Portugal, it's much warmer than the UK. It rains quite a lot and the wind is unbelievable but thank goodness there are many sunny days (never before had I felt such a strong sun). Rain + sun + fertile soil = very productive gardens!

Back in 2011, when we were still living in England, I wrote a series of posts that I entitled "the tomato plant saga"... attempting to grow tomatoes in an English garden (with no greenhouse) is a real saga. Here in NZ you just plant and water them. I can't imagine how it's like in Portugal!

Once again I realise that it pays to conduct your own little experiments. You don't need a proper kitchen garden in order to eat homegrown produce — one bed or a few pots will do the trick. Do give it a try!

(photos© Constança Cabral)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...